quinta-feira, julho 30, 2009

Entendendo Harry Potter

Como posso começar? ... Bom, eu não gosto de Harry Potter, mas as vezes você faz alguns esforços e assisti um ou outro filme dele, afinal de contas o mínimo que você pode adiquirir é conhecimento para gostar menos ainda.
Não vou ficar criticando os filmes e/ou livros, mas vou apresentar a minha própria interpretação turva sobre esse pequeno nóia que contagiou uns 2/3 do planeta terra.

Ok! Vamos aos fatos:

Fato turvo Nº 1: O nome

Muitas palavras em inglês recebem o sufixo "ER" e a partir disto você obtém a profissão, por exemplo:

Clean (limpar) , e cleaner (faxineiro), ou
Farm (fazenda), e farmer (fazendeiro), mais um exemplo:
Truck (caminhão), e trucker (caminhoneiro).

Seguindo essa lógica, temos a palavra POT que significa maconha, logo POTTER seria maconheiro? Assim teríamos Harry, o maconheiro?
Faz todo sentido do universo isso, afinal de contas não considero ações normais, como tentar atravessar paredes em estações de trem, ou talvez possuir amigos imaginários, ou quem sabe ver o velho do Aqualung e acreditar que ele seja o maior mago de todos os tempos, em minha opinião atitudes como essas levam a crer que nosso ilustre maguinho, não passa de um ilustre nóinhinha de farol.

Partindo dessa premissa chego ao fato turvo Nº 2: Os nomes dos livros

Já que esta claro a todos que Harry não passa de um nóia, eu chego a conclusão que o nome dos livros se encaixam ao fato, veja só o nome e a breve interpretação:

Harry, o maconheiro e a Pedra Filosofal
Se tratando de um nóia o título dessa primeira obra entorpecente se trataria de um objeto procurado por todos os nóias, ou seja, a pedrinha. Pedrinha? Não caiu a ficha? Pedra de crack, minhas crianças! Mas como Harry não é normal, creio ter esclarecido esse ponto no tópico acima, ela não procura apenas a pedrinha, mas sim a pedrinha filosofal que dará a ele a imortalidade. Pô! Nenhum nóia quer morrer, mesmo sabendo que esse será o destino de todos.

Harry, o maconheiro e a Câmara Secreta
Após ter encontrado a pedrinha filosofal, e ter usufruído dela, nesse livro ele se encontra preso em uma viagem, em que como sempre seus amigos imaginários estão presentes atrás do traficante, que atende pelo codinome de Vai de Morte. Como não seria diferente no meio da história ele vê aranhas de quarto virar aranhas gigantes, ou fios de macarrão virarem cobras gigantes (nota: isso também podem significar traços de homossexualidade, sabe-se lá!).

Harry, o maconheiro e o Prisioneiro de Azkaban
Bom, lugar de marginal, é na cadeia. Depois de ter sido pego na cracolândia com uma marica e uma porção de pedrinhas de crack, o nóinhinha mais querido do mundo acaba conhecendo a vida dura atrás das grandes. E de brinde acaba conhecendo seu tio que já estava por lá se formando na escola do crime. Uma das viagens marcantes nesse livro por parte de Harry (ainda sob efeito da pedra filosofal) avista um pombo transportador de celular e pensar que se tratava de um cavalo voador com cara de águia.

Harry, o maconheiro e o Cálice de Fogo
Após cumprir pena no extinto Carandiru, ele sai, mas certos vícios nunca se vão e nosso querido Harry usando todo seu raciocínio lógico descobre que quanto maior a marica, maior o número de pedras cabe nela. Assim, ele parte na sua busca pela Marica de Fogo, mas ele também cria novos amigos imaginários, esses que querem o mesmo objeto de desejo dele, e por isso entram numa olimpíada bizarra, do qual o velho do Aqualung diz que quem ganhar leva a marica.

Harry, o maconheiro e a Ordem da Fênix
Já atingindo uma idade mais "respeitável", o nóia descobre que a melhor forma de conseguir as drogas e através de grupos, e sendo assim ele forma a primeira gangue de nóias do mundo imaginário, chamado Hogwarts. O nome Fênix refere-se a associação as cinzas que sobram das pedrinhas.

Harry, o maconheiro e o Enigma do Príncipe (em cartaz nos cinemas)
Numa de suas viagens ele encontra um livro de receitas para transformar torrões de açúcar em pedras de crack, e mais uma vez ajudando o velho do Aqualung. Harry, o nóia tenta virar uma espécie de alquimista moderno. E abre a primeira fábrica de pedras automatizada do mundo imaginário. Mas nem tudo é mil maravilhas e seu maior ídolo (o velho do Aqualung), acaba mal quando ele tenta traficar as drogas de Harry para fora do país escondida em objetos comuns.

Harry, o maconheiro e as Relíquias da Morte
Esse ainda cabe a ser descoberto, mas devido a trecho final do nome, creio que o resultado não será muito diferente de todos os nóias.

Fato turvo Nº3: Por entre o nome
Existe uma outra tangente não explorada com relação ao nome dado a Harry por sua progenitora. Analisemos:

Harry Potter

Ênfase nos dois "RR" e nos dois "TT", ironicamente qual letra esta entre o "R" e o "T"?
Exato o "S", seguindo a lógica de duplicar as letras, obtemos o "SS", alguém lembra o que essa sigla significou?

Muito bem, parabéns Pedrinho! A polícia especial de outro nóia conhecido como Adolf Hittler. Nem pretendo explorar esse lado da história por que senão acusaríamos nosso ilustre drogadinho de nazismo também.
É isso aí pessoal, vocês que achavam que tudo no mundo de Harry era maravilhoso, imagino que nunca pensaram o que ele escondia. Prestem mais atenção quando foram dar um troco para algum muleque no farol, ele pode ser o próximo Harry Potter, ou talvez seja o documentado pela J.K.Rowling.

2 comentários:

Hatshepsut disse...

dhasudsaudhasiudasdsa
cara, ri mto.

Gosto de Harry potter, faz parte da minha infancia; mas nunca li tanta ironia e sarcasmo juntos sobre os livros da J.K.
hdusahdiusaduhas

mto bom.

;D

Lari Nunes disse...

Poxa caraa ... realmente eu como fã de Harry Potter, adorei o seu texto, seu sarcasmo, ou melhos sua tiração de sarro!!! Parabénss ... ri demais, não so eu! Parabéns