quarta-feira, agosto 30, 2006

Dardos envenenados, meu caro Watson

O jovem Sherlock Holmes (o enigma da pirâmide) de 1985, escrito por Chris Columbus, do qual você pode não associar o nome de ao fato, Columbus é responsável por alguns títulos que com certeza você conhece, como: Gremlins(1984)(escritor), The Goonies(1985)(escritor), Esqueceram de mim(1990)(diretor), Harry Potter(os 3 primeiros títulos)(diretor/produtor), se não considerar bastante, basta pesquisar e verá muito mais.

Mas vamos voltar ao caso Holmes, nesse filme considera-se que Holmes e Watson se conheceram no colégio, caso que realmente não aconteceu, Conan Doyle (criador do personagem) fez o encontro dos dois no livro "Um estudo em vermelho", até hoje me lembro de um parte da conversa de Holmes e Watson, logo depois de se conhecerem quando Watson fica supreendindo ao saber que Holmes desconhece que a terra gira em torno do sol, o mais supreendente dessa questão é como Holmes explica o porquê de não ter conhecimento disso, ele faz um comparativo de nosso conhecimento ser como coisas guardadas em um sotão, e quanto mais organizado com as informações necessárias para sua vida, melhor, ele complementa que não há porque guardar algo do qual não terá utilidade em sua vida, a primeira instância achei esse pensamento meio obsoleto, mas depois de um tempo sou obrigado a concordar com Holmes.

No enigma da pirâmide, enquanto Holmes afia sua mente com conhecimentos pertinentes dentro do colégio, enquanto uma série de assassinatos vão ocorrendo e estas seguem um certo ritual, todos os mortos são previamente envenenados com dardos e sofrem de alucinações.

O vínculo entre a pirâmide e a história dá-se por conta de um culto Egípcio conhecido como Rame-tep, nesta parte do filmes existe um incrível semelhança com o filme Indiana Jones e o templo da perdição, será por causa do diretor?

Um gancho bem interessante do filme é referente a explicação dos trajes e hábitos que Holmes possui, uma coisa legal é que diferente de algumas adaptações cinematográficas que coloca Holmes como um homem corpulento que na verdade não é, Doyle sempre descreveu Holmes como um cara magro e com nariz pontudo, isto é fiel no filme.

A trama esta descrita acima, agora o desenrolar da história fica por conta da curiosidade de cada um, o motivo de eu estar tão a par dos acontecimentos do filme deve-se a tê-lo comprado a pouco mais de duas semanas o filme.

Segundo uma pesquisa que fiz o filme conta com o primeiro personagem criado por computador, trata-se do cavaleiro em vitral, na época desenvolvido pela Lucasfilm. A sequência durou 30 segundos e demorou 6 meses para ser desenvolvido.

Fatos interessantes

Sherlock Holmes, segundo seu criador, vivia no número 221 da rua Baker, hoje lá é um museu em homenagem ao detetive mais conhecido da história, um amigo meu esta em Londres e esteve lá, veja a foto.

Dizem que o próprio Conan Doyle contribuiu com casos da Scotland Yard.

Links

Onde adquirir o filme
Onde adquirir os livros
Museu do Sherlock Holmes

3 comentários:

Deni disse...

Mes que vem a Meg ta aqui... prometo que entro no museu e (se puder, claro) tiro foto de tudo pra vc por no blog.

Se puder, manda uma copia desse filme ai pela Meg.

Abraco.

Meire disse...

vc sabe q eu amo esse filme??
Logo q cheguei aqui comprei!!
Toh amando o seu blog...

bjs

Anônimo disse...

ler todo o blog, muito bom